Mais disparates

No jornal ionline aparece uma notícia com o título Vaticano esclarece: “Padres gays” são responsáveis pela maioria dos abusos, cujo conteúdo é praticamente idêntico ao da notícia publicada no Google Vaticano se distancia de declarações ligando pedofilia à homossexualidade. Nestas notícias transcrevem-se declarações do porta voz do Vaticano, Federico Lombardi, a propósito das afirmações desastradas do secretário de estado do Vaticano, Tarcisio Bertone, ligando a pedofilia à homossexualidade. Nas notícias refere-se também um estudo da Congregação para a Doutrina da Fé que, infelizmente, não consegui obter; fico assim limitado às transcrições que são feitas nas notícias e são essas que pretendo comentar.

A primeira transcrição diz que “apenas cerca de 10% dos casos de abusos são actos de pedofilia; os restantes 90% revelam a atracção entre adultos e adolescentes”. Desses, “60% envolvem indivíduos do mesmo sexo e 30% são de carácter heterossexual”. Quer dizer então que, para além dos casos de pedofilia que têm vindo a ser conhecidos, há um número muitíssimo maior de abusos de adolescentes; note-se que se diz “abusos” e abusos são de condenar, mesmo que os abusados sejam adultos. Quanto aos 10% que são casos de pedofilia, nada se diz que permita relacioná-los com o carácter hetero ou homossexual dos abusadores.

Relativamente à segunda transcrição, a propósito das declarações de Bertone  que a homossexualidade “é uma patologia que atinge pessoas de todas as categorias, e padres em grau menor – nestes casos, é um assunto muito sério e escandaloso”, diz-se que “as autoridades eclesiásticas consideram que não são competentes sobre temas de carácter médico e psicológico e assinalam os estudos especializados e as investigações em curso sobre o tema”. Quer dizer que as autoridades eclesiáticas consideram a homossexualidade uma patologia e lavam as mãos dos casos de comportamento homossexual dos seus membros. Mas não é proibido aos padres ter relações sexuais, sejam elas com homens ou com mulheres? A que propósito vem isto, então? Ah! e os padres padecem menos da doença homossexual do que pessoas de outras categorias!

A última citação diz que “foi demonstrado por muitos psicólogos e psiquiatras que não há ligação entre celibato e pedofilia, mas muitos outros estudos põem em evidência uma ligação entre homossexualidade e pedofilia”. “Isto é uma verdade e é o problema”. Admitindo que “isto é verdade”, como se diz, porque é “isto é o problema”? Se um padre abusar de meninas, isso não é um problema? É mais natural que um padre com tendências homossexuais abuse de meninos do que outro que tenha tendências heterossexuais abuse de meninas? E a que propósito vem aqui a questão do celibato?

Ando muito desgostoso com a actuação dos responsáveis da Igreja em toda esta questão; parece que se trata de pessoas completamente irresponsáveis e profundamente desorientadas.

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under sociedade

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s