O cérebro do planeta

Para a maior parte das pessoas a INTERNET constitui um mistério; algo como uma sociedade secreta onde os iniciados praticam rituais obscuros, dos quais parecem extrair grande prazer e aos quais se entregam como viciados. Para os que penetraram nesse mundo, felizmente cada vez em maior número, a INTERNET não apresenta o carácter mágico que, por vezes transparece das reportagens nos meios de comunicação social; aprenderam a navegar nos seus intrincados canais, tornaram-se conhecedores da codificação em hipertexto e sentem-se ali como peixe na água.

E no entanto, se calhar, a INTERNET é, ou começa a ser, a manifestação de uma realidade que nos ultrapassa como seres humanos. Não por ser sobrenatural; mas, precisamente, por ser natural.

Era o que faltava! Então a NET não é uma perfeita manifestação da capacidade inventiva e realizadora da mente humana? E, como tal, não é do que há de mais artificial, por oposição a natural?

Sim, sim e sim. A NET é uma esplêndida realização humana; é a tecnologia no seu expoente máximo e, no entanto, democratizada e posta ao alcance de cada um. E, todavia, a NET também é um fenómeno natural, na linha directa da evolução das espécies, que levou a que os primeiros organismos unicelulares, ao longo de milhões de anos, dessem origem à imensa variedade que é a manifestação da vida sobre a Terra. Toda a evolução se deu à custa da selecção natural, a qual sempre permitiu que, na luta pela subsitência, as variações em favor da espécie fossem transmitidas à descendência, enquanto aquelas que produziram indivíduos menos capazes desapareceram ràpidamente.

A inteligência do homem é, também, um produto da evolução; podemos perceber como os animais dotados de inteligência se tornaram mais eficazes na luta pela subsistência e que a selecção natural se tenha encarregado de preservar tão importante desenvolvimento. Da mesma forma, os sucessivos desenvolvimentos tecnológicos só passaram à história quando se tornaram úteis para a subsistência, ou para a superioridade, de um grupo social; assim se entende que tanto esforço de desenvolvimento seja posto em armas.

A INTERNET é o mais recente de uma série de desenvolvimentos na linha do armazenamento, processamento e transmissão da informação entre as pessoas, a qual é, òbviamente, importante para a superiorização dos grupos que a dominam. Esta linha de desenvolvimentos começou com a invenção linguagem falada, passou pela invenção da escrita e da impressão e culminou com os últimos desenvolvimentos no campo da informática.

Mas o armazenamento e processamento da informação têm muito a ver com aprendizagem e com inteligência; estes processos são feitos no cérebro à custa de inúmeras sinapses, que ligam neurónios, constituindo cada sinapse, no mínimo, um bit de informação. Mais provàvelmente, cada sinapse representa um elevado número de bits.

Será que alguém que tenha navegado na INTERNET tem dificuldade em ver, em cada hyperlink, o análogo de uma sinapse? E, se vê essa analogia, será que não vai mais longe e olha para toda a NET como o análogo de um cérebro planetário em processo de aprendizagem?

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s