Tag Archives: aquecimento global

Estado de Pânico

Quando peguei neste livro não tinha outra expectativa que não fosse a de um romance de acção, inverosímil. daqueles que se lêem para passar o tempo e se esquecem a seguir; estava redondamente enganado. É certamente um romance cheio de acção e inverosímil q.b. mas o autor tem uma tese e usa o romance para defendê-la; as afirmações feitas pelos personagens principais são suportadas por referências bibliográficas que podem ser confirmadas pelo leitor, quer dizer, o romance é também um livro científico.

A tese de Michael Chricton é que a informação veiculada pelos media relativamente ao aquecimento global e alterações climáticas é manipulada e enviesada, de forma a criar nos leitores um sentimento de medo que não é suportado pelos dados científicos. O autor não advoga a ideia de que tudo é permitido, porque o ambiente tratará de se adaptar a tudo o que o homem se lembrar de fazer na Terra, mas quer que se fale verdade e que se tirem apenas as conclusões que os dados permitem, evitando apresentar resultados de especulações e simulações como se fossem resultados científicos irrefutáveis. Esta manipulação e enviesamento de dados já foi por mim referida aqui, no artigo O Mundo está a aquecer? onde manifestei o meu cepticismo relativamente à capacidade do homem para alterar significativamente o clima.

Michael Chricton também se insurge contra a manipulação da ciência e dos cientistas pela política o que, em última análise, resulta da necessidade que os investigadores têm de lutar por financiamentos. Os resultados da politização da ciência são sempre desastrosos e são apresentados no livro dois exemplos flagrantes; neste blog também já escrevi sobre isso a propósito do livro A Falsa Medida do Homem, que mostra bem como o chamado Quociente de Inteligência (QI) tem servido os interesses das classes dominantes.

O enredo baseia-se na ideia do terrorismo ambiental, catástrofes ambientais desencadeadas voluntariamente por uma organização ambientalista que necessita desesperadamente de fundos para os gastos da sua estrutura cada vez mais pesada. O livro pode ser lido apenas pelo enredo e será apenas mais um romance, mas pode ser lido como a tese, que é, e nesse caso é verdadeiramente recomendável.

Deixe um comentário

Filed under Uncategorized

O Mundo está a aquecer?

Estará o Mundo a aquecer? Nos meios de comunicação social aparecem referências frequentes ao “aquecimento global” que os “cientistas” têm medido e comprovado. Fenómenos atmosféricos perfeitamente aleatórios são frequentemente usados como prova do propalado aquecimento global e mesmo quando o caso é de um episódio de temperaturas anormalmente baixas há sempre quem consiga dar a volta para explicar tal episódio como mais uma manifestação do aquecimento global.

Sempre fui muito céptico em relação às provas de que o Mundo está realmente a aquecer; julgo, por um lado, que não existem dados fiáveis relativos a um número suficiente de anos e penso, por outro lado, que as causas naturais de variação da temperatura são imensamente mais poderosas do que as humanas pelo que, mesmo que seja real um aquecimento em tempos recentes, é altamente provável que ele seja devido, sobretudo, a variações na actividade solar, vulcões, etc.

Acontece que o cepticismo relativamente a esta matéria é politicamente incorrecto e que há muita gente a construir as suas carreiras profissionais com base neste facto. Estas pessoas têm tudo a perder se a preocupação com o aquecimento global arrefecer e é legítimo que se questione a sua seriedade. Não será de admirar que alguns torçam os dados no sentido das conclusões que pretendem obter ou que ignorem alguns dados que podem pô-las em causa.

As minhas dúvidas não são sem fundamento. Há provas concretas de falta de cuidado na validação de dados e da sua manipulação abusiva, sempre no sentido de aumentar o aquecimento medido. Num trabalho de mais de 200 páginas intitulado SURFACE TEMPERATURE RECORDS: POLICY-DRIVEN DECEPTION? Joseph D’Aleo e Anthony Watts mostram, com elementos concretos, que há razão para duvidar das conclusões de entidades como a Climatic Research Unit da Universidade de East Anglia ou o National Climatic Data Center.

Eu continuo céptico mas penso que todos os cuidados que tenhamos com o ambiente são bem-vindos, por isso até vou tolerando o politicamente correcto aquecimento global.

1 Comentário

Filed under sociedade

Está a chover mais na Terra

Um estudo publicado nos Proceedings of the Royal Academy of Sciences, baseado em observações de satélite feitas entre 1994 e 2006, a quantidade de água doce que chega aos oceanos aumentou quase 20% naquele período. Como a água doce provém da precipitação atmosférica, a conclusão é que tem chovido cada vez mais nos últimos anos. A explicação, naturalmente, é que se evapora mais água dos oceanos, em virtude do aquecimento geral da atmosfera, e que essa água evaporada se precipita em maior quantidade. À primeira vista até pode parecer que um aumento da quantidade de água potável é um benefício para as populações, mas diz-nos o investigador Jay Famiglietti que esse aumento de precipitação se dá nas regiões de mais elevadas latitudes, enquanto as zonas tropicais estão a ficar mais áridas.

Deixe um comentário

Filed under sociedade

O presente que não tivemos

Neste Natal assistimos à habitual euforia de compras e oferecemo-nos mutuamente presentes que não apreciamos. Apesar da crise, eu e muita outra gente recebemos e oferecemos presentes que os destinatários agradeceram e colocaram escondidos em algum armário, sem saber que destino lhes dar. Há anos que procuro lutar contra esta prática, sem qualquer sucesso; as condicionantes familiares e sociais têm sido demasiado fortes.

E há, no entanto, um presente que cheguei a esperar e que não veio. Desejava que a conferência do clima tivesse sido um sucesso e tivéssemos podido celebrar este Natal com a satisfação de nos termos dado um presente verdadeiramente útil. Apesar de estar convencido de que se está a fazer um uso político abusivo do aquecimento global, julgo que todos os cuidados que tivermos com o nosso planeta serão benéficos para as próximas gerações e vejo com tristeza a incapacidade de nos entendermos sobre isso.

Deixe um comentário

Filed under sociedade